Seguidores

domingo, 11 de junho de 2017

Vídeo mostra 'vampiros da vida real', que sugam sangue um do outro. Assista!


Acredite, existem pessoas com um relacionamento apaixonado baseado em chupar o sangue um do outro, e ainda dizem que é melhor do que relações sexuais.
Vampiros da vida real sugam sangue um do outro.

Alguns casais fazem opções diferentes para suas cerimônias de casamento e para as festas. A temática que o casal Lea e Tim, que pretende se casar no ano que vem, deseja para seu casamento é "#Vampiros". E, apesar de parecer uma escolha estranha e até um pouco macabra, até tem sua lógica. Vampiros estão (ou estiveram até recentemente) na moda. A Saga Crepúsculo, nos livros e no cinema, além do seriado Diários de Um Vampiro, para não falar da duradoura fama do Conde Drácula, são exemplos da popularidade dos lendários seres. Com Lea e Tim, que cuidam do filho de três anos de Tim, o pequeno Daedric, o interesse pelo tema tem raízes mais profundas.

Os dois são "vampiros da vida real" e dedicam-se a sugar o sangue um do outro, o que, eles afirmam, é melhor do que fazer sexo, uma sensação de êxtase. Lea diz que sente a vitalidade e a essência da pessoa de quem ela suga o sangue entrando nela, comparando o apetite do casal por sangue com a voracidade de um tubarão. Os dois cortam um ao outro com um estilete para tirar o sangue que bebem em um cálice ou direto da ferida. Eles também se alimentam do sangue de outros parceiros, embora isso seja raro devido ao modo desfavorável pelo qual a maior parte das pessoas encara o vampirismo. Embora admitam que seu estilo de vida pode facilitar a transmissão de doenças pelo sangue, eles se submetem junto a exames de sangue a cada par de meses, o que dizem ser uma experiência que os deixa ainda mais unidos.

Eles já eram "vampiros praticantes" quando se encontraram em um festival para "vampiros", há dois anos, e sentiram uma afinidade imediata entre eles. Lá, Tim, um divorciado de 31 anos, ofereceu-se para ler o futuro de Lea nas cartas de tarô - a leitura de Tim quase levou Lea, de 20 anos de idade, às lágrimas de emoção, diz ela. Segundo Lea, um praticante do vampirismo é capaz de identificar outro pela vibração.

Os dois tornaram-se amigos no Facebook e o relacionamento progrediu daí. Em pouco tempo, tornaram-se um casal. Lea diz que na época ela não queria nada mais sério e que Tim tinha acabado de passar por um divórcio, mas que eles, hiperssexualizados que eram, sentiram luxúria à primeira vista. Desde então, aprenderam a ver outras coisas importantes um no outro. Em pouco tempo, introduziram o consumo de sangue um do outro em seu relacionamento.


O casal, que vive na cidade de Austin, capital do Texas, nos Estados Unidos, deseja incorporar suas crenças de vampiro em seus votos de casamento e esperam ter alguns de seus "colegas vampiros" na cerimônia. Eles também pretendem ser sinceros com o pequeno Daedric quanto ao vampirismo, embora não pretendam forçá-lo a seguir seus passos, pois creem que cada "vampiro" deve sê-lo por escolha própria.

Sua partilha é muito importante e nos ajuda a continuar criando conteúdo. COMPARTILHE! Clica logo ali mais abaixo. Obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO