Seguidores

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Grande Mancha Vermelha de Júpiter - revelado o segredo mais quente dos últimos tempos!


Além de gigantesca, a maior tempestade do Sistema Solar também é super quente

A atmosfera de Júpiter é muito, muito mais quente do que a atmosfera da Terra. Sua temperatura elevadíssima chega a ser mais alta do que o esperado, e os astrônomos não entendiam o porquê, até agora...


Ao que tudo indica, o aquecimento de Júpiter se deve a Grande Mancha Vermelha, que é simplesmente o maior furacão do Sistema Solar. Utilizando o Infrared Telescope da NASA, no Havaí, uma equipe de cientistas britânicos e norte-americanos descobriu que a atmosfera logo acima da Grande Mancha Vermelha chega a ser 370°C mais quente do que outras regiões. Para se ter uma ideia, a temperatura média da atmosfera de Júpiter é de aproximadamente 930°C (com exceção das regiões polares aquecidas pelas auroras). Mas a atmosfera acima da Grande Mancha Vermelha chega a ter incríveis 1.330°C.
Ilustração artística mostra como ocorre a transferência de calor para toda a atmosfera de Júpiter.
Créditos: Karen Teramura / UH IfA / James O'Donoghue

Aqui no planeta Terra, as temperaturas atmosféricas ou de superfície são reguladas pela radiação solar, mas no Sistema Solar exterior, os processos internos são mais evidentes do que a radiação em si. Uma simulação feita pela mesma equipe mostrou que a temperatura atmosférica de Júpiter ficaria abaixo de 0°C se dependesse apenas da luz solar.

"Com o aquecimento solar descartado, nós realizamos observações para mapear a distribuição de calor em todo o planeta em busca de eventuais anomalias de temperatura que poderiam fornecer pistas a respeito de onde a energia é proveniente", disse James O'Donoghue, lider da equipe de investigação, da Universidade de Boston.

James realizou observações de Júpiter com o instrumento Spex, da NASA, para analisar as emissões de infravermelho do planeta. O hemisfério sul de Júpiter tinha estranhas assinaturas de aquecimento em determinadas latitudes e longitudes, e a causa foi encontrada como sendo a própria Grande Mancha Vermelha.

Ela é gigantesca


A Grande Mancha Vermelha é um fenômeno incrível, e grande o suficiente para caber mais de duas Terras dentro dela, além de ser grande fonte de energia. Ela funciona como uma bomba ou um dissipador, absorvendo o calor do interior do planeta e espalhando por toda a atmosfera. O estudo foi publicado na renomada revista Nature, e ele fornece a primeira evidência sobre os efeitos da Grande Mancha Vermelha nas altitudes elevadas do planeta.
Ilustração artística sobre a temperatura elevada da Grande Mancha Vermelha de Júpiter.
Créditos: Dillon Yothers / Luke Moore

Esta grande descoberta vai além de Júpiter em si. Temperaturas mais elevadas do que o esperado são comuns em outros planetas gasosos do Sistema Solar, e agora sabemos que esse fenômeno pode ocorrer até mesmo em gigantes gasosos que orbitam outras estrelas.

Com a ajuda da sonda Juno (que está orbitando Júpiter), os pesquisadores pretendem analisar a Grande Mancha Vermelha mais profundamente, assim como outras tempestades menores que existem por lá, e entender se a liberação de calor interno também ocorre em outros pontos do planeta.

Fonte

Sua partilha é muito importante e nos ajuda a continuar criando conteúdo. COMPARTILHE! Clica logo ali mais abaixo. Obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO