Seguidores

quinta-feira, 8 de junho de 2017

17 pratos horripilantes que as pessoas realmente comem

Exemplos de itens culinários estranhos e asquerosos é que não faltam

Confira alguns deles:
Balut



Balut é um prato feito a partir de embrião de pato desenvolvido, tendo sido cozinhado vivo e servido em seu ovo. É muito comum no sudeste asiático, às vezes oferecido com cerveja. Nas Filipinas, o Balut ideal é de um embrião de 17 dias; no Vietnã, as pessoas os preferem mais velhos, de 19 a 21 dias.


CasuMarzu


Casu Marzu significa “queijo podre”. Esse alimento é feito a partir de leite de ovelha e é tradicional da Sardenha, na Itália. Seus fabricantes o colocam para fora de casa e permitem que moscas coloquem ovos dentro do queijo. Suas larvas quebram as gorduras e o fermentam. Não é necessário limpar os vermes brancos do queijo antes de consumi-lo, mas algumas pessoas fazem isso (algumas pessoas também não acham necessário tomar banho todos os dias, mas, né…). O Casu Marzu foi proibido durante anos e só era vendido no mercado negro (posso entender por quê), mas alguns anos atrás foi declarado um alimento tradicional e agora é legal produzi-lo e vendê-lo.


Boodog


Boodog é um prato da Mongólia feito com marmota ou cabra. O animal é cozido dentro de sua própria pele com pedras quentes no estômago.

O processo de preparação é bem simples e higiênico: é só pendurar a marmota ou cabra pela cabeça e cortar a pele ao redor de seu pescoço, puxando-a inteira. Daí, você quebra as pernas do animal na altura do joelho, de modo que você só precisa retirar os ossos da perna superior. Guarde o fígado e os rins para serem inseridos dentro do animal mais tarde. Daí, você fecha tudo isso com a própria pele removida do animal, enchendo o “saco” resultante com sal, cebolas descascadas e pedras (!) aquecidas (mas atenção, as pedras devem ter superfície lisa e redonda. Como se isso mudasse o fato de que são pedras). No final, o pescoço deve ser fechado com uma peça de arame. Agora você precisa de uma chama forte (por exemplo, um maçarico) para queimar a pele. Durante esse processo, a carne fica pronta. Você sabe que ela está cozida o suficiente quando toda a superfície da pele estiver vazando gordura. Aprecie com moderação.



Ovo de mil anos


“Ovo de mil anos” é o nome de um prato chinês feito a partir da preservação de ovos em uma mistura de cinzas, sal, cal, casca de arroz e argila por várias semanas (ou meses). O ovo pode ser de pato, ganso ou galinha. Ficar enterrado envolto nesta mistura louca é o que lhe dá essa aparência e textura peculiar (eufemismo para “nada atraente”). A clara fica com uma consistência gelatinosa e translúcida, num tom âmbar. Já a gema adquire um tom cinza escuro-esverdeado e uma textura pastosa. Toda essa transformação é fruto do processo de deterioração do ovo. Deu fome?


Tarântulas fritas


Aranhas são animais fofos e amáveis que adoramos tanto encontrar em nossa casa que mal podemos esperar para ver em nosso prato. Ainda mais se forem tarântulas do tamanho de uma palma humana, como as que as pessoas costumam comer no Camboja. Como outros pratos do mesmo naipe, o hábito de comer tarântulas fritas começou durante um período de fome na história, mas hoje em dia, elas são consideradas uma iguaria e sobretudo experimentadas por turistas.


Smalahove


Smalahove (também chamado de skjelte) é um prato tradicional norueguês feito a partir da cabeça defumada ou seca de uma ovelha. Pode ser servido com ou sem cérebro. Originalmente, era comido apenas pelos pobres. Hoje, adivinha? É considerada uma iguaria, principalmente no Mediterrâneo e algumas áreas do norte da Europa.


Escamole


Esse apetitoso prato mexicano é feito com larvas de formigas que vivem nas raízes da planta Agave tequilana, chamada de agave-azul, que é o ingrediente principal na fabricação da famosa bebida alcoólica tequila. Colher os ovos das gigantes formigas pretas que fazem seus ninhos nas raízes dessas plantas não é um trabalho agradável, uma vez que elas são venenosas. Comer as larvas deve ser tarefa ainda menos agradável, mas quem sabe você não fica bêbado de tequila no processo, para ajudar.


Sangue de porco com pão


Na Hungria, quando um porco é abatido no romper da aurora, seu sangue é frito com cebola e servido com pão no café da manhã. Nham! Esse prato húngaro foi criado no século XV e era comum entre a população mais pobre, já que os ingredientes usados são os que geralmente eram descartados. Além do sangue, podia-se fazer uma mistura com pedaços dos órgãos do animal e temperos, como sal, pimenta e páprica, para então cozinhar essa mistura dentro do intestino limpo do animal e deixá-la ao sol, para secar. A receita ainda é preparada hoje, com a diferença de que leva arroz, para diminuir o gosto de sangue. Não podia simplesmente tirar o sangue?


Olho de atum


Geralmente servido no Japão e na China, o globo ocular do peixe atum é um prato estranho que as pessoas juram ser mais gostoso do que parece. Não me convenceram.


Khash


Khash é um prato tradicional da região do Cáucaso, Ásia do Sul e sudeste da Europa, feito a partir de pé, cabeça e estômago de vaca. Basicamente, as coisas que não queremos do animal. A deliciosa sopa pelo menos é fervida durante cerca de 24 horas com temperos até obter um caldo forte e aromático.


Durião


Durião é considerado o “rei dos frutos” porque fede – e muito! É encontrado no sudeste da Ásia. Seu odor já foi descrito como fezes de porco, aguarrás e cebolas, guarnecido com chulé. Pode ser sentido por muitos metros de distância, tanto que a fruta é proibida em certos lugares públicos. Ainda assim, as pessoas não deixam de consumi-la.


Ikizukuri


Ikizukuri é um sashimi feito de peixe, polvo, camarão ou lagosta. Peixes são utilizados na maioria dos casos. O filé é preparado sem matar o animal e servido em um prato com a carne em fatias e o coração ainda batendo (um defensor dos direitos animais tem um ataque cardíaco a cada vez que isso é lido). O prato é proibido em vários países, incluindo Alemanha e Austrália.


Blodplättar


Sangue parece estar na moda. Blodplättar (sueco) ou veriohukainen (finlandês) são panquecas de sangue feitas a partir de sangue de porco, leite, farinha de centeio, melaço, cebola e manteiga. Tirando o ingrediente especial…


Crista de galo


Muitas partes do frango (tudo menos sua carne) são renegadas, mas aproveitadas em ensopados, galinhadas e outros pratos. Talvez a pior delas seja a crista do galo. Na culinária francesa, é considerado um item para decoração de pratos, como vol au vents, profiteroles e combinada com ingredientes de luxo, como trufas e pães doces.


Hákarl


Esse prato bizarro é comum na Groelândia. São tubarões fermentados e secos por 4 a 5 meses. Parece delicioso.


Pênis de boi


Cozido em água fervente ou consumido cru, o pênis de boi é um prato relativamente comum na Ásia. A questão que fica é: por que, senhor?


Insetos e larvas


Chahuis são besouros comestíveis no México, também comuns em outros países da América Central. Existem 88 espécies (principalmente suas larvas) bastante consumidas. Insetos fritos também podem encontrados em Bangkok, na Tailândia. Entre eles, gafanhotos, vermes de bambu, traças, grilos, escorpiões e besouros aquáticos gigantes. Larvas também são vendidas na China.

Fonte

Sua partilha é muito importante e nos ajuda a continuar criando conteúdo. COMPARTILHE! Clica logo ali mais abaixo. Obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO