Seguidores

quinta-feira, 11 de maio de 2017

O segredo da superstição: o que você vê nessa imagem?


Não abrir um guarda-chuva dentro de casa, passar por baixo de uma escada, quebrar um espelho, bater na madeira, jogar sal no ombro, calçar primeiro o pé direito do sapato, etc... 

Sim, as superstições estão por todo lado, e fazem parte da rotina de muita gente. E pode até não parecer, mas a imagem da nossa capa tem tudo a ver com as superstições!



Nosso cérebro é especialmente talentoso em identificar formas, e principalmente rostos, em qualquer imagem, mesmo que essas formas e rostos não estejam ali...

Isso acontece porque esse tipo de reconhecimento, desde os primórdios, sempre foi importante para nossa sobrevivência como espécie.






Para entender isso basta nos lembrar de como é importante reconhecer um rosto, a forma de um animal (se for perigoso corremos, e se não for, o caçamos para servir de alimento), a forma de uma planta que pode ser venenosa, etc.


Graças a esse reconhecimento, criamos padrões em nosso cérebro, que são usados como comparação o tempo todo.

As formas e padrões que nos permitem reconhecer ou até antecipar o perigo, nos manteve vivos e evoluindo por milhares de anos. A imagem abaixo é uma ótima demonstração disso. Tente adivinhar o que ela representa:
Porém, essa habilidade especial, que pode ser tão útil pra reconhecermos padrões, e foi peça fundamental na sobrevivência e desenvolvimento da nossa espécie, acaba causando alguns "efeitos colaterais"... e a imagem abaixo é outro ótimo exemplo disso:
Um desses efeitos é que, nossa mente está tão condicionada a ver rostos e formas, que algumas vezes enxerga coisas que não existem... Esse efeito é conhecido pela ciência como 'pareidolia', que é uma das origens das superstições. A chave da superstição é entendermos os padrões que nosso cérebro cria pra compreender o mundo ao nosso redor. Por exemplo, se você assiste a um jogo de futebol com uma camisa, e seu time ganha, sua mente
automaticamente junta os fatos: sua camisa + seu time = vitória no jogo. Assim seu cérebro cria um padrão onde essa camisa é um fator importante. E mesmo que seu lado lógico saiba que isso é impossível, quando você for assistir outro jogo, vai acabar querendo usar a mesma camisa. Desse ponto em diante uma simples camisa se transformou em uma superstição, um tipo de amuleto: a sua "Camisa da Sorte"!

Se você gosta de camisas pretas, não precisa ficar desapontado. A imagem acima foi apenas um exemplo...

Mas o fato é que da mesma forma que criamos padrões para coisas positivas, também criamos para coisas negativas: se aprendemos desde pequenos que quebrar um espelho, por exemplo, dá azar, quando quebramos um espelho, nossa mente irá reunir tudo de ruim que aconteceu no dia e formar um padrão, e assim teremos "certeza" que isso influenciou negativamente a nossa vida. Esses padrões vão sendo criados
inconscientemente, até que uma ideia faça tanto sentido, que decidimos que é melhor não alterar tal padrão. Bater na madeira é um bom exemplo disso, e até fizemos uma matéria especial sobre a origem dessa superstição [
Clique aqui para ver].

Mas claro que esses fatos são a versão da ciência para a questão. Se você tem uma superstição, não precisa necessariamente abandoná-la, afinal todos sabemos que passar por baixo de uma escada pode mesmo ser bem perigoso, então nesse caso, o padrão criado tem uma explicação bem lógica, e pode evitar que você se machuque, o que é ótimo pra você!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO