Seguidores

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Nova descoberta na evolução humana!

Registros fósseis indicam que eles possuíam cerca de 1,5 metro de altura, ossos das pernas longos – o que pode indicar que caminhavam grandes distâncias com postura ereta –, punhos e dentes muito parecidos com os dos humanos modernos e cérebro um tanto pequeno, podendo ser comparado ao tamanho do cérebro de um gorila. Esta é a descrição do Homo naledi, um de nossos antepassados que foi descoberto em 2013, e que deve ter habitado a Terra há 2 milhões de anos. Quer dizer, isto era o que pensavam até ontem, 09/05, quando um artigo publicado na revista eLife mostrou que estes nossos primos não eram tão distantes assim de nós! Novas evidências demostram que o Homo naledi e o Homo sapiens podem ter convivido juntos entre 236.000 e 335.000 anos atrás.

Reconstrução da face do Homo naledi a partir de ossos do crânio. Crédito: Cicero Moraes (Arc-Team) et al [CC BY 4.0 (http://bit.ly/2mhLHWX)] | Wikimedia Commons

Outras espécies de hominídeos – linhagem de primatas que possui um ancestral em comum com o Homo sapiens – estiveram na Terra nesta mesma época: Homo erectus (na Ásia), Homo heidelbergensis (África e Europa), Homo neanderthals e Homo denisovensis também! A descoberta de que o Homo naledi possivelmente também conviveu com os antepassados do homem moderno foi feita através da análise dos seus dentes e de várias técnicas de datação radioativa (técnica que permite a identificação da idade de objetos antigos como fósseis e múmias) na caverna que foram encontrados, na África. Neste mesmo local já foram encontrados mais de 1500 fósseis e pelo menos 15 indivíduos desta espécie. O resultado das análises realizadas por pesquisadores, trouxe o Homo naledi para perto da gente: os fósseis têm entre 236.000 e 335.000 anos de idade. Outros fatos curiosos podem ser relatados, mas ainda não podem ser confirmados. Arqueólogos sempre acreditaram que as ferramentas de pedra que foram encontradas daquela época, haviam sido feitas pelo ser humano moderno.
A descoberta levanta a suspeita que elas podem ter sido feitas pelo Homo naledi também. Além disso, o fato dos fósseis terem sido descobertos em cavernas, dá a possibilidade de um hábito surpreendentemente moderno aos nossos antepassados: o de enterrar mortos. Até o momento este comportamento só havia sido registrado por humanos modernos e neandertais, e a nova descoberta não pode descartar a possibilidade para o Homo naledi também.
Ossos do crânio do Homo naledi. Você consegue pereceber semelhanças com o crânio de um ser humano moderno? Crédito: John Hawks | Universidade de Witwatersrand 

Novas pesquisas e escavações continuarão sendo feitas até que maiores descobertas sejam comprovadas. Os pesquisadores não podem confirmar ainda se mesmo com um cérebro tão pequeno (correspondente a 30% do tamanho cerebral de um ser humano moderno), o Homo naledi fazia ferramentas de pedra e realizava rituais de despedida. Enterrar os mortos pode representar para a espécie a existência de sentimentos profundos como a dor e a emoção por seus parentes, um comportamento bastante atual.
A possibilidade dos corpos terem caído naturalmente nas cavernas também será avaliada para que este enigma seja desvendado.  De qualquer forma podemos refletir que a história evolutiva é mais longa do que se parece e esconde mais mistérios do que podemos imaginar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO