Seguidores

sábado, 13 de maio de 2017

Estes médicos nazistas realizaram experimentos horrendos em seres humanos “pelo bem da Alemanha”

Provavelmente você já deve ter ouvido falar do Dr. Josef Mengele, uma pessoa cujas as ações eram tão repugnantes que é duvidoso acreditar que ele era realmente um ser humano. Infelizmente, devidos às suas fugas de sucesso após o fim da Segunda Guerra Mundial, o médico não pagou pelos seu crimes em terra.
Não há detalhes excessivos das atrocidades de Josef, mas há uma ideia geral de suas ações que já é o suficiente para fazer o estômago embrulhar. Além disso, o apoio popular que tais atos recebiam é de fazer o sangue ferver!

É importante recordar.

É ainda mais importante lembrar que Hitler era apenas um dos responsáveis por um dos períodos mais sombrios da humanidade.
1. O comandante da SS, Heinrich Himmler, sempre foi interessado pela ciência e para experimentos ordenou “dar um uso para os prisioneiros”, iniciando as mais terríveis torturas.
2. Otmar Freiherr Von Verschuer não foi “ativamente” um nazista – É fato que em 1953, fazia parte de um grupo anti-nazista. Ainda assim, era interessado por experimentos com gêmeos e, eventualmente, se tornou professor de Josef Mengele. O professor Otmar não foi julgado por crime contra humanidade, pois “não era responsável pelo o que seu aluno Josef fazia”, apesar de ter o tornado seu assistente para apoiar suas “investigações”.
No verão de 1944, recebeu de Mengele os seguintes materiais de pesquisa: amostras de sangue de gêmeos enfermos com tifo, esqueletos de dois homens judeus assassinados, órgãos internos de crianças e cadáveres de ciganos.
3. O médico Victor Brack, pelo menos, foi julgado em terra por seus crimes de criação de campos extermínio e, junto com Odilo Globocnick, arquitetou incansavelmente a implantação da “Solução Final”, o assassinato de todos judeus da Europa.
4. Joachim Mrugowsky era obcecado pela higiene, particularmente a “higiene racial”, e, possivelmente, através da criação de um “Instituto” na Universidade de Halle iria resolver esse problema. Ele escreveu sobre prisioneiros que foram baleados com balas envenenadas com aconitina:
“Um dos envenenados tentou em vão vomitar. Para conseguir isso, eu coloquei quatro dedos da mão acima das articulações ao fundo de sua boca. No entanto, não conseguiu vomitar… A inquietação aumentou depois de forma violenta … A morte veio a 121, 123 e 129 minutos após a injeção”.
Outros “experimentos” realizados consistiram em:

– Injetar na pessoas: Tifo, Varíola, Cólera, Tuberculose e Difteria;
– Colocar as pessoas sob temperaturas extremas para ver quanto tempo eles aguentariam até morrerem;
– Estudar as diferenças entre mortes por gás mostarda, fosgênio e vários venenos;
– Remover órgãos para observar o funcionamento do corpo sem eles;
– Tentaram “criar” gêmeos siameses;
– A esterilização por meio de exposição a radiação ou a injeção de vários minerais.
Ella Lingens (Reiner), uma médica que também estudou as leis junto com seu marido Kurt Lingens se manteve firme contra o regime nazista, ajudando ativamente o povo judeu a escapar. Ella enfrentou Fritz Klein durante o julgamento:
“Como você pode conciliar [o uso de câmaras de gás] com o seu juramento de hipocrático?”
“Como médico, meu objetivo é proteger a vida e tendo em consideração a vida é que removemos apêndices gangrenosos dos corpos doentes. Os judeus são corpos destrutivos ao corpo da humanidade”.
Ella e Kurt receberam medalhas por sua resistência ao regime.
Também é importante lembrar que, mesmo nos períodos mais obscuros na história da humanidade existem pessoas dispostas a fazer a coisa certa.
É ainda mais importante para tentar ser esse tipo de pessoa.
Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO