Seguidores

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

NASA faz nova revelação sobre atividade detectada em Europa


O Telescópio Espacial Hubble continua nos surpreendendo, fazendo registros científicos valiosos!


Após alguns dias de suspense, a NASA finalmente anunciou as descobertas sobre a famosa lua Europa!

Usando o Telescópio Espacial Hubble, da NASA, astrônomos observaram novos indícios de erupções de plumas de vapor de água na lua Europa de Júpiter. O que para muitos pode parecer algo "trivial", para os cientistas essas observações revelam algo muito mais surpreendente: aumentou drasticamente a possibilidade de existir um oceano de água líquida escondido abaixo da camada de gelo da lua Europa.

E não é só isso. As plumas de vapor de água facilitam futuras missões a Europa, pois poderemos acessar esse oceano escondido sem ter que perfurar a espessa camada de gelo.

"O oceano de Europa é considerado um dos lugares mais promissores que poderiam abrigar vida no Sistema Solar", disse Geoff Yoder, administrador associado da Diretoria de Missões Científicas da NASA. "Estas plumas, se elas realmente estão lá, podem fornecer uma outra maneira de acessar o oceano de Europa."
Estima-se que as plumas cheguem a uma altura de 200 quilômetros antes do material cair sobre a superfície da lua. Europa tem um enorme oceano global que contém o dobro de água dos nossos oceanos da Terra, mas é protegido por uma camada de gelo de espessura desconhecida. As plumas oferecem uma oportunidade tentadora possibilitando recolher amostras desse oceano sem ter que perfurar a superfície congelada. Bastaria uma sonda orbitadora coletar um pouco da água e analisar o que tem nela.




    A equipe, liderada por William Sparks do Space Telescope Science Institute (STScI) em Baltimore, nos EUA, observou essas projeções semelhantes a dedos, enquanto visualiza a lua Europa conforme ela passava na frente de Júpiter.

    Plumas de vapor de água detectadas pelo Telescópio Espacial Hubble.
    Créditos: NASA / ESA / Hubble

    O objetivo original das observações era verificar se Europa possuía uma fina camada de atmosfera. "A atmosfera de planetas extrassolares bloqueia parte da luz das estrelas que estão por trás", disse William. "Se houver uma fina atmosfera em torno de Europa, ela tem o potencial de bloquear parte da luz de Júpiter, e nós poderíamos vê-la como uma silhueta. E assim fomos à procura de características de absorção em torno de Europa."

    Em 10 ocorrências separadas (abrangendo 15 meses de observações) a equipe observou Europa passando na frente de Júpiter. Eles viram o que poderiam ser plumas em erupção em três dessas ocasiões.


    O resultado desse trabalho é mais uma evidência para a comprovação da existência de plumas de água em Europa. Em 2012, uma equipe liderada por Lorenz Roth do Southwest Research Institute em San Antonio, detectou evidências de vapor de água em erupção a partir da região polar sul de Europa, que chegavam a mais de 160 quilômetros de altura. Agora, as observações feitas com o Hubble deu aos cientistas o mesmo resultado.

    Mas até o momento, as duas equipes ainda não conseguiram detectar essas plumas de vapor de água simultaneamente, o que sugere que as plumas podem ser esporádicas, aparecendo e desaparecendo em questão de dias ou semanas.




    Ilustração artística mostra as plumas de vapor de água em Europa, com Júpiter de fundo

    e no centro, a lua Io, que projeta sua sombra em Júpiter.
    Créditos: NASA / ESA / G. Bacon

    Futuramente, com auxílio do Telescópio Espacial James Webb (programado para ser lançado em 2018) os astrônomos poderão usar a visão infravermelha para confirmar de vez as erupções de plumas de vapor de água em Europa. A NASA já está formulando uma missão que poderia detectar e coletar amostras dessas plumas de água em Europa.

    "Essa observação abre um mundo de possibilidades, e estamos ansiosos para futuras missões, como o Telescópio Espacial James Webb, por exemplo, dando seguimento a esta descoberta emocionante", disse Paul Hertz, diretor da Divisão de Astrofísica da NASA.


    Se confirmado, Europa seria a segunda lua do Sistema Solar conhecida por ejetar plumas de vapor de água. A outra lua que já tem essa confirmação é Encélado, de Saturno, cujas observações foram feitas pela sonda Cassini.





    Imagens: (capa-ilustração/NASA) / NASA / ESA / Hubble / G. Bacon / divulgação
    Galeria do Meteorito 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Curta nossa Página...
    Visite nosso parceiro:
    Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO