Seguidores

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Em novo julgamento, serial killer cita trechos da bíblia e nega autoria de assassinatos

Nova sentença contra Tiago Henrique somou 25 anos às penas que, agora, ultrapassam 345 anos. Caso envolve o assassinato um morador de rua em 2012

No total, Tiago já foi condenado por 14 homicídios, além de por roubo e porte ilegal de arma | Foto: Aline Caetano/TJGO

O serial killer Tiago Henrique foi novamente levado à júri nesta quinta-feira (12/9) pelo homicídio do morador de rua Michel Luiz. Neste 14º julgamento a que foi submetido, ele foi condenado a mais 25 anos de prisão e, agora, já tem penas que somam 345 anos e 10 meses de prisão. Ele tem 14 condenações por homicídio e ainda por roubo e porte ilegal de arma.

Michel foi morto na madrugada de 12 dezembro de 2012, em Campinas. Ele estava deitado na calçada quando foi atingido por Tiago, que se aproximou de moto e deu um tiro na sua cabeça. O vigilante nega a autoria do crime, mas o exame de microbalística comprovou que a bala era da mesma arma que ele utilizou para vitimar outras pessoas. Imagens de câmeras de segurança também o mostram tanto no local do crime quanto em um ponto onde outro morador de rua foi morto.
Além do homicídio propriamente dito, foram reconhecidas duas qualificadoras: motivo torpe e surpresa. O juiz Eduardo Pio Mascarenhas ressaltou ainda que o fator surpresa, somado ao fato de que a vítima provavelmente dormia no momento do crime, impossibilitaram que ela se defendesse.
Durante seu depoimento, Tiago não só negou a autoria como também recitou trechos da Bíblia:  “Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo” (Isaías 58). (Com informações do Tribunal de Justiça de Goiás).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO