Seguidores

Visitas

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Nem a NASA consegue explicar o motor impossível, mas ele parece funcionar!

Uma coisa é certa: nós ainda não entendemos completamente a física do Universo...



Um sistema de propulsão experimental que parece violar as leis da física, pode realmente funcionar, sugere um novo estudo.

O EmDrive está causando controvérsias, discussões e muito, muito debate, porque simplesmente ninguém conseguir explicar como ele funciona, nem mesmo seus próprios criadores. E o mais interessante é que após um teste feito em laboratório, o motor espacial gerou pequenas quantidades de propulsão.


EmDrive: Entenda o inexplicável

O motor EmDrive, desenvolvido pelo pesquisador britânico Roger Shawyer há mais de uma década, gera impulso ao emitir micro-ondas dentro de um cone lacrado. Mas de acordo com a Terceira Lei de Newton (para toda ação há uma reação igualmente oposta) isso não deveria funcionar, já que não há nada sendo expelido pelo EmDrive.

Foguetes usam combustíveis que expelem gases superquentes para impulsioná-los; aviões utilizam suas turbinas (ou hélices) para empurrar o ar para trás, logo, se ejetando para frente, mas esse novo motor EmDrive não empurra nada, não expele nada e não interage com nada (até onde sabemos).

Motor EmDrive.
Créditos: SPR / EmDrive

Mas uma equipe da NASA, liderada por Harold "Sonny" White, da agência Johnson Space Center, notou que o motor EmDrive gera impulso, produzindo 1.2 milinewtons de força por kilowatt de energia. Isso significa que o motor EmDrive gera 100 vezes mais impulso do que uma vela solar, outro projeto estudado pela NASA.




Assim como a vela solar, o EmDrive não requer propulsores. Uma nave espacial equipada com um motor desses, seria capaz de gerar toda sua energia necessária para as micro-ondas apenas com painéis solares. Portanto, o EmDrive pode fazer com que as futuras viagens interplanetárias ou até interestelares se tornem mais baratas e acessíveis, não apenas pelo preço, mas também pela sua velocidade. Os chineses também testaram uma variante desse motor em 2012, que também gerou impulso após alguns testes.

Mas tudo isso pode levar muito tempo, se é que será utilizado de fato algum dia. A tecnologia EmDrive ainda é apenas um conceito, e deve passar por vários testes antes de ser levada a sério em futuras missões. Mas os resultados preliminares são promissores, e nos mostram que a tecnologia para viagens espaciais pode passar por uma grande revolução.

Portanto, o "motor impossível" pode realmente funcionar, talvez aproveitando a energia de partículas subatômicas que estão surgindo e desaparecendo constantemente no Universo, sugere Harold White. A NASA também especula que o motor EmDrive poderia estar "empurrando o vácuo", mas até agora, ninguém tem certeza do que acontece dentro do estranho cone selado. Parece até uma versão do "gato de Schrödinger", só que dessa vez, bem mais complicada...





Imagens: (capa-EmDrive/divulgação) / SPR / EmDrive
Galeria do Meteorito 

Nenhum comentário:

Postar um comentário